LOADING

Já segue a gente?

Conhecemos a Dom Espeto, nova casa de espetinhos da região
maio 13, 2017|Granja Viana

Conhecemos a Dom Espeto, nova casa de espetinhos da região

Conhecemos a Dom Espeto, nova casa de espetinhos da região

Enfim, aparecemos!

Afinal, acabaram as férias, né? E férias é um negócio que levamos muito a sério. Conexão quase zero. Tanto é que nosso Insta andou bem parado durante este período, mas prometemos voltar com tudo agora em maio.

Mas vamos ao que interessa. Primeiro texto pós-férias e o que há de novo?

Mais uma casa de espetos na região! Espetinhos de carne, de frango, com bacon, sem bacon, pão de alho, com queijo, sem queijo, defumado, sem defumar, farofa diferente, comidas típicas, música ao vivo…  Ou seja, tudo de bom!

Estamos falando do DOM ESPETO, uma casa com mais de 35 opções de espetos para degustar e saborear enquanto se toma uma bela taça de chopp da Federal (cada vez mais forte na região), além de pratos tradicionais, como Baião de Dois, Arroz Carreteiro entre outros. Localizado no KM  29 da Raposo Tavares, ao lado do Cemitério Jardim das Flores e da antiga escolinha de futebol da Portuguesa (hoje, escolinha do Santos), a casa está aberta há 1 mês e já é muito bem falada por nossos vizinhos e moradores do bairro Parque Rincão.

Federal

Chopp da Federal

Nós visitamos e vamos contar tudo para vocês neste texto!

Estivemos no DOM ESPETO por duas vezes e meia (risos). Duas vezes e meia porque no dia da inauguração só tomamos um chopp da Federal e fomos embora. A casa estava cheia e iríamos receber alguns amigos em casa, então não iria dar para aproveitar o tempo.

Dom Espeto

Fachada da casa DOM ESPETO, no km 29 da Raposo (Sentido Cotia)

Mas voltamos na mesma semana, um pouco depois da hora do almoço. A casa estava vazia, mas não nos importamos com isso, pois o que queríamos mesmo era conhecer a casa tranquilamente, seu menu, e quiça o dono, pata bater um bom papo. E foi o que aconteceu. Logo fomos recebidos pelo bom acreano João Clementino, marceneiro da antiga geração e hoje, empresário, idealizador da casa.

João já havia nos recebido no dia da inauguração com muita atenção e não foi diferente desta vez. Eu, ansioso para provar o Baião de Dois que já havia reparado anteriormente, já fui logo pedindo.  Já Juliana, franguete de primeira, já foi pedindo suas tulipas, carnes bovinas e pão bolinha com queijo.

Entre pedido e espera, João sentou conosco e começamos a conversar sobre a casa. Comentei sobre a decoração, que achamos bem legal, com tijolos aparentes, quadros, cadeiras estilizadas e um belo de um sofá da Saldão Decor (tbm no km 29, sentido SP) entre outros assuntos, como a boa qualidade do cardápio/menu e os planos futuros.

Decoração

Decoração toda da Saldão Decor

Papo vai, papo vêm, João se mostrou um cara e tanto. E caras como ele nos dá gosto de conhecer. João é um cara do Acre, terra que ninguém escuta muito falar por aqui e que pouco temos conhecimento de seus produtos regionais. Pois João, visionário, homem de negócios, estudado e muito bem preparado para o presente e futuro, está a fim de mudar isso. Começou por trazer a farofa do Acre, que é mais grossa e crocante, com um sabor diferenciado e não essas farofas de mercado que muitos colocam no balcão para servir. Provei e adorei. Já até disse que ele precisa colocar essa farofa para vender, pois para quem gosta dos insumos que a mandioca pode fornecer, essa farofa é um talismã.

Farofa de Deus (Acre)

Farofa de Deus, diretamente do Acre

João nos contou também que queria trazer o Baião de Dois do Acre pra cá, que é igual ao do nordeste, só que diferente (risos). João contou que certa vez um cliente pediu o Baião e na hora de comer se deparou com um queijo bem derretido e lhe questionou o que era. João sem querer se explicar demais, mudou a receita e tirou o queijo do Baião, assim como o delicioso coentro, que ele confirma o que já sabemos “os paulistas não gostam de coentro, então eu tirei.”

E é verdade, não gostam mesmo. Eu hein!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entre muitos outros papos, o tempo voou. Foi uma tarde gostosa e a comida que provamos estava um tanto quanto deliciosa. Lá, já comemos o espeto bovino, a panceta, o coração, o pão de alho levemente apimentado, o pão bolinha de queijo, a tulipa de frango, a costelinha suína, o baião, a farofa e UFA, por enquanto, somente estes.

E quando achamos que acabou, João nos surpreende com uma banana assada com canela e leite condensado e um abacaxi, da mesma maneira, que ‘forrou o estômago’. Meu Deus, como comemos neste lugar!

Abacaxi

Abacaxi assado com canela e leite moça. #Céloko!

É claro que já viramos fregueses, né? Até porque, ao tropeçar saindo de casa já cairemos na porta do DOM ESPETO. Nome este que teve como inspiração o restaurante premiadíssimo e na lista dos melhores do mundo, D.O.M, do superstar chef brasileiro Alex Atala. Ou seja, se a inspiração é essa, o que podemos esperar, não é mesmo?

A casa abre de segunda a sábado, das 11:00 às 15:00, e é neste horários que os pratos executivos da casa costuma mais sair. Hora do almoço, né? Depois da pausa, reabre às 18:00 até às 22:00 e, aos sábados, vai até um pouco mais tarde, até porque tem música ao vivo de boa qualidade aos ouvidos. Nós aprovamos!

Vai lá conhecer o DOM ESPETO, procure pelo João e diga que conheceu a casa pelo Casal Granjeiro e ganhe um atendimento ainda melhor.

no comments
Share

Júlio Frutuoso

Digo ser comunicador, afinal, o que é um jornalista senão isso? Também sou apaixonado por muitas outras coisas, como gastronomia, fotografia, e também pelo Palmeiras. Dedicado? Somente a Srta. Frutuoso.